Os Bruzundangas, de Lima Barreto, faz 100 anos em 2022

A obra póstuma Os Bruzundangas, de Lima Barreto, faz 100 anos em 2022. O livro traz crônicas satíricas em que há a criação de um país fictício, Bruzundanga, no qual impera a desigualdade social, o mau uso do bem público e o nepotismo.

É uma crítica à sociedade brasileira e seus representantes do início do século XX, temas recorrentes na obra de Lima Barreto. A nobreza de Bruzundanga era constituída por dois grupos: os doutores, que haviam feito medicina, direito, engenharia), e os novos ricos, que iam à Europa para conquistar títulos como condes, príncipes, princesas.

Os paralelos com o Brasil do início do século XX vão desde o âmbito político até o cultural e algumas críticas continuam sendo atuais, como a exploração do meio ambiente, religião e desigualdade social.