Uma das personagens mais conhecidas dos quadrinhos nacionais, a Mônica, do cartunista Mauricio de Sousa, está com um novo projeto cuja proposta é o empoderamento feminino. A responsável por ele e musa inspiradora do personagem criado por seu pai, Monica de Sousa, hoje diretora executiva da Mauricio de Sousa Produções, participou da 5ª edição da FlinkSampa , no ‘Espaço Empoderamento e Beleza’, falando sobre o tema: “Empoderamento de Meninas – As meninas poderosas de hoje serão as mulheres maravilhosas de amanhã”.

Mônica iniciou sua apresentação falando que os primeiros personagens de seu pai eram meninos, por ser este um universo que o cartunista conhecia muito bem, e seu primeiro personagem foi o Franjinha. Algum tempo depois, ao ser abordado sobre a ausência de personagens femininos em suas tiras no jornal, Maurício de Souza passou a observar as três filhas: Mariângela, Magali e Mônica para se inspirar.

Assim,  no ano de 1963, surgiu a primeira personagem feminina criada por Mauricio de Sousa: a Mônica, cuja inspiração foi, portanto, sua filha caçula. Mônica estreou em uma tirinha do Cebolinha publicada no jornal Folha da Manhã (atual Folha de São Paulo). Desde o começo, a personagem já mostrava que não era preciso corresponder a determinado estereótipo de beleza para ser líder e que as meninas podem, sim, ter o seu espaço. “A personagem mostrava sua força em todos os lugares,  mostrava seu empoderamento com a aceitação de quem era, mesmo não tendo um padrão de beleza; através de suas atitudes”, enfatizou.

E, após 50 anos do surgimento da personagem, a diretora executiva desenvolveu um projeto chamado As Donas da Rua que aborda a valorização do empoderamento feminino através de histórias de mulheres que fizeram a diferença no mundo e se destacaram pelas suas atividades. “A Mônica é um personagem forte e que, após todo este tempo, continua inspirando meninas e valorizando suas qualidades e vocações”, complementou.

As Donas da Rua

Além de Magali, Rosinha, Marina, Bonga e Dorinha, o projeto apresenta mulheres como Carolina de Jesus, Dorina Nowill, Marie Curie e Ada Lovelace, caraterizadas pelos personagens da Turma da Mônica, em histórias narradas na página oficial do projeto,

Assim a iniciativa deste projeto  é agregar conteúdos que demonstrem através de histórias e exemplos, como meninas do Brasil e do mundo podem ter direitos e acesso a um conhecimento que valorize conceitos como empoderamento e igualdade de oportunidades, e ainda, possam exibir a beleza que existe na diversidade. Para isso, Monica destaca as parcerias criadas com setores do esportes e das artes, citando a Associação Soccer Camp que é um incentivo às meninas que gostam de futebol. “O esporte faz com que elas trabalhem a convivência em equipe, as diferenças, ganhos e perdas, e possibilita que elas sonhem e voem mais alto”, explicou.

Outro projeto citado por ela foi uma exposição ocorrida na Semana de Arte Her For She, organizada pela ONU Mulher, que aconteceu no Conjunto Nacional, em São Paulo, em março deste ano,  e que reuniu artistas dos mais diversos segmentos de arte, pintura e grafismo.

De acordo com Mônica, outras atividades serão incorporadas ao projeto: “Queremos que as meninas possam ser o que elas desejam, para isso estamos mostrando pessoas que possam servir como inspirações e representatividade. Iniciamos com a mudança dos personagens femininos da Turma da Monica, principalmente as mães que apareciam com o avental, pois aquela era a década de 60. Hoje vemos nos quadrinhos o pai do Cebolinha fazendo comida, enquanto a mãe está no trabalho. Porque vejo que as meninas têm que crescer vendo este empoderamento e nada melhor do que ter  personagens representando estas situações”, concluiu.

O hot site do projeto é aberto para que as meninas e mulheres compartilhem suas vivências e histórias de empoderamento.http://turmadamonica.uol.com.br/donasdarua/

Vale ressaltar que durante a palestra, a plateia estava lotada de jovens superconcentrados  e muitos nem acreditavam que estavam perto da protagonista e musa inspiradora da  Turma da Mônica. Após o encerramento, o palco foi invadido por eles e uma foto ao lado de Mônica Souza, foi realizada.