O Seminário “A prosa urbana do Brasil Contemporâneo” que aconteceu hoje (16) às 17:00H contou com a presença dos escritores Paulo Lins, Fernando Bonassi, Marcelino Freire, Ferréz e Uelington Farias.

Em um clima bastante descontraído mas, não por isso, menos intelectualizado, foram abordadas várias questões atuais importantes que fundamentam a prosa de escritores como Lins e Ferréz, que escrevem sobre assuntos ligados à vida nas periferias urbanas.

O escritor paulistano, Ferréz, por exemplo, chamou a atenção para o fato de que a escritora Carolina de Jesus não é conhecida em seu próprio país. Segundo ele, ao visitar escolas e perguntar se os estudantes conhecem Carolina de Jesus, ninguém conhece, no entanto, ao citar a escritora judia Anne Frank (autora do ‘Diário de Anne Frank”) todos conhecem.

Para Ferréz isso se deve ao fato de que o livro escrito por Anne Frank é constantemente publicado, distribuído e divulgado; enquanto que os livros de Carolina de Jesus tiveram edições esparsas e foram pouco divulgados em seu próprio país.

O escritor também destacou que a literatura periférica sofre um ‘processo de apagamento’ e o que realmente importa, é pouco divulgado, pois, segundo ele, o que se divulga insistentemente, são as biografias dos autores e isso deveria interessar menos que as ideias que eles debatem em suas narrativas.