O escritor angolano António Quino nasceu na capital daquele país em 1971. Quino é licenciado em Ciências de Educação, Mestre em Ensino de Literaturas em Língua Portuguesa e professor universitário. Também é jornalista e colabora de forma regular em publicações jornalísticas angolanas. É autor dos livros “Duas Faces da Esperança: Agostinho Neto e António Nobre” (2014) e de ”Conversas de Homens” (2010). Quino estará no debate “A contribuição dos autores negros à literatura” que acontecerá no dia 17 de novembro.

Também estará presente , o escritor Francisco Noa. Ele nasceu em Moçambique em 1962. Noa é doutor em literaturas africanas de língua portuguesa pela Universidade Nova de Lisboa e professor de literatura e retórica na Universidade Eduardo Mondlane, em Maputo.

Francisco Noa é autor dos seguintes livros: “Literatura Moçambicana: Memória e Conflito”; “A Escrita Infinita”; “Império, Mito e Miopia”; “A Letra, a Sombra e Água”, além de ter publicado diversos artigos em publicações de seu país e estrangeiras. Atualmente Noa é reitor da Universidade Lúrio e também atua como consultor na área da educação. Sua participação na FLINK será no debate “África-Brasil: versos em laços’ que ocorrerá no dia 18 de novembro.